• Home
  • Posts RSS
  • Comments RSS
  • Edit
  • ﻼ2013ﻼ

    domingo, 30 de dezembro de 2012
    É interessante notar, ao chegar o fim de mais um ano, as conquistas que foram realidade durante uma etapa de 365 dias de vida. Quando eu olho pata trás e lembro de tudo pelo que passei, nasce em mim um sentimento dúbio: como passou rápido! E também, como aconteceu tanta coisa e tão pouco tempo; acaba parecendo que foram mais de 365 dias. Aquela frase super clichê que fala que nunca imaginei me aproximar de algumas pessoas e também nunca imaginei me afastar de outras virou realidade esse ano mais do que nunca. Isso, porém, foi recebido por mim sem tanta surpresa. Apesar de ter tido momentos maravilhosos com amigos remanescentes do meu terceiro ano do Ensino Médio, a maioria eu não só não vejo, como também não falo mais. Mas, convenhamos, isso seria inevitável, não?
    Sinto-me muito feliz, porém, ao pensar que isso não deixa marcas tão intensas em mim, já que Deus não somente me colocou em uma igreja que amo, como também se encarregou de me dar amigos preciosíssimos lá. Além de tudo, tive oportunidade de viver momentos mais próximos de alguns deles e isso foi muito bom. Falando assim, até parece que o carinho que tive com minha última turma de colégio era pequeno, mas é justamente o contrário. O que vocês estão lendo é um discurso de alguém que sente muitas saudades de tudo o que vivi ano passado, mas já aceitou que não volta. Esse ano entrei na faculdade e muita, muita coisa mudou, não somente ao meu redor, mas também dentro de mim.
    Emociono-me somente em pensar nas pessoas que fizeram esse ano ser tão especial, mesmo sendo o mais difícil da minha vida. Passei por muitos problemas, desafios e etapas complicadas e, tenho certeza, não teria sido a mesma coisa sem elas. Sou muito grato a Deus pela minha família e amigos que colorem os meus dias com tanto amor. 
    Não posso deixar de falar de vocês, hein, leitores do Raízes? Afinal, esse texto nem existiria se não fosse por vocês que, diga-se de passagem, elogiam-me muito mais do que penso que mereço. Muito obrigado por cada selo, cada elogio, cada sentimento compartilhado e cada afinidade verbalizada. 2012, apesar de tudo, foi um ano extremamente frutífero para mim e, espero, que seja só uma amostra do que 2013 será. Perdoam-me se o texto ficou muito longo, mas como fazer o último post do ano em poucas palavras? Aliás, eu teria muito mais coisas para falar, mas paro por aqui. Feliz ano novo para todos vocês, meus queridos! 

    Arraigados e edificados nele, e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, nela abundando em ação de graças.
    Colossenses 2:7

    ﻼCasa 32 e Seloﻼ

    quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

    Esse seria o primeiro Natal que eu passaria sozinho. A não ser que alguém da vizinhança me visse e abrisse a porta gritando: “Junte-se a nós!”, eu estaria o mais solitário possível durante a noite inteira. Mas não acredito que o espírito natalino faça tanto com as pessoas. Afinal, um estranho que pode roubar algo de sua casa continua sendo um estranho que pode roubar sua casa, não é o Natal que vai mudar isso. Não que eu seja assim, mas podem pensar isso, não?
    Mas não estou preocupado com o que podem pensar. Pelo menos, não é isso que passa pela minha cabeça agora enquanto estou na praça que achei perto do ponto de encontro em que eu e meus melhores amigos marcamos de nos encontrar. Cheguei atrasado porque tive um péssimo dia; todas as minhas esperanças de a noite compensar tudo foram por água abaixo quando só percebi que estava mais de uma hora atrasado ao chegar à frente da casa 32, a mais brilhante dos arredores, nosso ponto de referência.
    O mais estranho é que não me ligaram nem me mandaram uma mensagem... Agiram como se não houvesse mais alguém para chegar. Não que eu justifique meu atraso pelo que aconteceu, mas, no lugar deles, creio que eu ligaria. Eu estava querendo encontrar alguém com quem pudesse me distrair de todas as dificuldades que vivi hoje. Tudo parecia querer dar errado. E muitas coisas deram errado. O que eu queria agora era um ombro para chorar. Que melancolia! Estou começando a não gostar mais tanto do Natal...
    Percebo, ao olhar para o lado, os bancos vazios perto de mim. Todos eles com restos de neve em seus recantos, cercados pela brancura de mais neve ao redor e por luzes penduradas em todos os lugares disponíveis para isso. Luzes que brilhavam, piscavam, faziam um barulho de... Passos? Não, distrai-me demais, devo estar imaginando coisas.
    -Elias? – virando meu rosto para o lado oposto, vi Sandro vindo em minha direção com um sorriso radiante no rosto.
    -Sandro, o que você está fazendo aqui? – levantei-me enquanto ele me puxava para um abraço apertado. – Você não foi com os outros?
    -Fui, mas voltei. – ele se afastou - Eu sabia que você viria. Está tudo bem? Por que você se atrasou? – havia uma dose de compaixão em sua voz.
    -Não tive um bom dia, mas não acho que seja assunto para agora, Sandro... – desviei o olhar.
    -Tudo bem. É Natal, né? Vamos. – ele puxou minha mão.
    -Para onde? – hesitei.
    -Para a festa, ora. Eu vim te buscar. Todo mundo disse que eu daria a viagem perdida, mas eu sabia que não. Vamos, amigão?
    -Vamos. Amigo. – repeti a última palavra sentindo a verdade que Sandro dava a ela. 



    Bem, eu tinha de falar sobre Natal, não é mesmo? Não somente pela tradição, é minha época do ano preferida. No fim do ano tudo fica mais bonito, mesmo o Natal sendo ameaçado pelo dia 21 - não, não vou fazer piadinha com isso. Não achei que o texto ficou tão bom, mas foi o que minha inspiração permitiu. Acho que o Natal trata-se de família, amizade, companhia. Não consigo pensar em quem não tem isso e não tem a sorte de nosso colega Elias.
    Quero lembrar de agradecer a todos os parabéns recebidos no último post. Vocês que realmente ficaram felizes com isso me fizeram sorrir. Aí em cima vocês veem o belo selo que a linda da Patrícia N. - do blog Complicated Imperfect - indicou para mim. Muito obrigado, mana, a você que tem sempre lembrado de mim, apesar dos meus atrasos inevitáveis e visitas inconstantes, ao contrário das suas.


    Vamos às regras:
    1 - Nomear 15 blogs. (podem ser dez?) Cadê minha fluoxetina? | Coloridamente Cinza |  Fallen In Me | de Dai para Isie | Strawberry de livros e filmes | Conversando com a lua | Hipérboles | Identidade Aleatória | :: Elos no Horizonte :: | Folhas Soltas | Julie Amargamente Doce
    2 - Avisar as pessoas que nomeou. Farei isso.
    3 - Agradecer o blog que te nomeou. Patrícia, muito obrigado mesmo! Já fazia algum tempo que não recebia selos e essa foi uma ótima surpresa! E já tem outro encaminhado, não é? Você é demais.
    4 - Adicionar o post ao blog. Aqui está.
    5 - Adicionar 7 coisas que você gosta. Blogosfera, seriados, livros, música, cinema, tecnologia e bom humor. Gostar é diferente de amar, então, fiz um balanço.

    Desculpem-me se o post ficou muito extenso, mas quem posta pouco como eu precisa aproveitar. E, para finalizar, não esqueçam o verdadeiro sentido do Natal! Que Jesus esteja no coração de todos vocês e até a próxima!

    Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creiais no nome do Filho de Deus.
    I João 5:13

    ﻼPrimeiro Anoﻼ

    quarta-feira, 5 de dezembro de 2012
    Hoje vai ser uma festa! É isso aí, o Raízes Firmes está completando um ano de existência no dia 4 de dezembro. É motivo de comemoração e alegria para mim, já que consegui conciliar a correria com a vida virtual – não tão bem assim, eu sei – e fazer um trabalho de qualidade aqui.

    Existe bolo de festa surpresa mais lindo que esse?
    Por falar em correria, quero me desculpar com vocês pelo meu sumiço – em novembro só postei uma vez! Foi por motivos justos: um deles é que eu participei da I Semana C.S. Lewis no Ceará, que aconteceu no Museu de Arte da UFC (Universidade Federal do Ceará). Outro, bem mais relevante, foi que dia 17 de novembro foi meu aniversário de 19 anos e eu comemorei por uma semana! Deixa-me explicar: passei dois dias na casa de uma amiga, onde tive uma singela e bonita comemoração, tive um almoço especial com outra amiga que faz aniversário na mesma semana que eu, ganhei a mais linda festa surpresa na minha igreja com muitos dos meus amigos e ainda fui chamado para soprar velinhas com alguém especial que faz aniversário junto comigo, tendo essa festa acontecido dois dias antes da data.

    Parabéns reservado que recebi na casa da minha amiga Isadora
    Deu para entender um pouco porque não tive tempo para o blog, né? Além disso tudo, tive coisas de faculdade como provas, produções de texto e mais tantos detalhes que tomaram meu tempo durante esse que foi o novembro mais intenso da minha vida. Nunca ganhei tanto presente – não foi de fazer montanhas na minha cama, mas foram muitos – sem promover uma festa. Quem se preocupou e mandar mensagens no Facebook também fez isso com louvor.

    Os três aniversariantes da semana.
     Enfim, agora vamos para o aniversariante da vez: o blog! Lembro como se fossem ontem as primeiras postagens apresentando o blog e falando sobre as festividades de fim de ano que eu amo tanto. Eu queria ter mais tempo e condições de me dedicar à página para esmiuçar com mais qualidade cada fato ocorrido que foi citado acima. Sinto-me em dívida em falar, por exemplo, da festa que ganhei só citando-a. Não sei se faz sentido eu fazer isso depois. Mas o blog faz parte da minha vida como se fosse um amigo chegado, que sempre tem coisas boas para me acrescentar quando nos encontramos. Vê-lo completando um ano é como se eu realmente o tivesse conhecido há um ano, e não o criado.

    Existem muitos outros blogs por aí que tem por dia as visitas que eu ganho em um mês, mas estou muito satisfeito com todos os frutos que tenho colhido aqui, afinal eu sei bem – e vocês tem noção disso – do trabalho que dá. Só quero agradecer a todos vocês, leitores fiéis ou não, mas que, de alguma maneira, fizeram parte do primeiro ano do Raízes. Muito obrigado! Tenho profunda admiração por muita gente que conheci através daqui.

    Enfim, eu acho que é isso. Fiz uma página no Facebook como presente meu para o blog e peço a vocês que a curtam. Sintam-se como se a página fosse a festa e, todos vocês, convidados dela. Entrem e divirtam-se! Procurarei postar coisas interessantes por lá, complementos de tudo o que vemos por aqui. Até mais, queridos!

    Para acessar a página do Raízes Firmes no Facebook, clique AQUI. Abraços firmes e até a próxima!

    Porque será como a árvore plantada junto às águas, que estende as suas raízes para o ribeiro, e não receia quando vem o calor, mas a sua folha fica verde; e no ano de sequidão não se afadiga, nem deixa de dar fruto.
    Jeremias 17:8


    LinkWithin

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...