• Home
  • Posts RSS
  • Comments RSS
  • Edit
  • ﻼIgreja Futebol Clube 2ﻼ

    domingo, 2 de setembro de 2012
    Como prometido, vou continuar com a analogia sobre como futebol e religião se parecem. Fiquei muito surpreso com a repercussão da primeira parte dessa série pois, além de ter ficado como post mais lido do blog em apenas duas semanas, muitas pessoas concordaram comigo - claro que houve discordâncias, mas fiquei feliz com o compartilhamento de opiniões e tudo o que vocês tiveram para acrescentar. Continuarei desenvolvendo mais dois tópicos dessa semelhança sutil - ou não - que nos dá oportunidade de rever nossos conceitos.


    1. Herança - É isso mesmo, herança. Quantos de nós não sabemos - ou mesmo vivemos - tantas histórias de como os pais levam seus filhos para o estádio. Histórias sobre como o primeiro jogo assistido de perto foi emocionante e intenso. Relatos sobre a primeira camiseta do time comprada numa data simbólica e tradições familiares relacionadas a determinado time como temas de aniversário. Até mesmo a contaminação das cores e da bandeira do time estampadas nas toalhas, lençóis, colchas de cama, tapetes, canecas, molduras e por aí vai... Agora podemos pensar quantas vezes também ouvimos relatos de filhos que, desde muito pequenos, eram levados à igreja pelos pais. Relatos de apego à EBD - Escola Bíblia Dominical - por proporcionar crescimento espiritual e laços mais próximos com os colegas de culto. Testemunhos sobre crianças que descobriram seus ministérios - música, teatro ou dança - desde muito cedo, quando eram incentivadas pelos pais e por seus líderes espirituais ao serviço na casa de Deus. Ou seja: famílias reunidas em prol de investimentos que acreditam ser importantes, o que acaba passando de pai para filho, tornando-se um ciclo firmemente enraizado na cultura de várias gerações. Uma herança que é oficializada pela emoção, costume, espiritualidade, identificação. Percebeu como são semelhantes? Não há porque não olhar para as duas práticas com naturalidade. Só apoio a continuidade da existência do livre arbítrio. É bonito falar sobre esse tipo de herança quando se faz bem à criança, agora forçá-la a torcer para determinado time ou fazer parte de uma religião em que ela não se encontra é opressor. A Palavra diz para que os pais ensinem os filhos no caminho, para que quando estiverem maiores, não se desviem dele. Ensinar o caminho de Deus é diferente de obrigar alguém a fazer parte de uma religião. O caminho do Senhor está acima de qualquer doutrina ou ritual, assim como torcer para determinado time por obrigação tira todo o brilho da paixão pelo esporte.

    Educa a criança no caminho em que deve andar; e até quando envelhecer não se desviará dele. Provérbios 22:6

    2. Partido - É uma verdadeira chapa política o que algumas pessoas fazem para defender seu time ou religião. Chingar o time do outro, seus jogadores e treinadores e contar vantagem em cima de vitórias estrategicamente selecionadas é comum entre torcedores. Dizer que determinado time é maior que outro porque tem mais torcedores, porque tem os maiores jogadores do Brasil ou porque está indo bem em todos os jogos da temporada acontece corriqueiramente entre aqueles que precisam se sentir ao lado dos maiores. A questão é: precisa disso? Eu sou evangélico, mas posso garantir para você que não coloco um dedo sequer no fogo pela minha religião, muito menos pela denominação da congregação da qual faço parte. Jesus foi bem claro ao dizer que Ele é o caminho, a verdade e a vida e que ninguém vai ao Pai senão através Dele. Através Dele somente! Jesus não disse em momento algum enquanto esteve nesse mundo como homem que religião A ou B são as certas e D e E são as erradas. Religião foi algo criado pelo homem para facilitar o relacionamento com Deus, mas o tiro acabou saindo pela culatra porque é uma das coisas que mais divide as pessoas. Assim como times de futebol! Quantas amizades poderiam ser feitas em estádios e deixam de acontecer porque simplesmente o outro está vestido com a camisa do time adversário? Quando eu pinto meu rosto com as cores da minha torcida, isso não precisa significar: "Torcedor do time adversário, não se aproxime!", mas pode querer dizer "Foi para esse time que eu escolhi torcer e isso é somente uma diferença entre nós que não precisa nos separar". A competição é no jogo e fica no jogo, nós não precisamos levar isso para as nossas vidas e para os nossos relacionamentos. Há pontos negativos e positivos em times e religiões, por isso eu não acredito que haja uma religião melhor que a outra, afinal se você consegue viver a Palavra de Deus - ela precisa estar acima de qualquer ritual religioso - sem ser impedido por doutrinas, esteja onde você estiver, você terá salvação.

    Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim.
    João 14:16

    Bom, creio que o objetivo dessas postagens já deve estar bem claro para todos. Algumas pessoas acharam que eu generalizei alguns pontos no post passado e esse foi o foco da discordância delas. O meu intuito não é generalizar, é simplesmente selecionar os detalhes para desenvolver melhor o raciocínio. Se, em algum momento, a seus olhos paracer que eu estou generalizando, tenha certeza de que não é esse o meu alvo. Até a próxima.

    35 firmaram raízes:

    1. Marcelle Pires disse...:

      cara
      muito boa essa postagem
      e sou de comum acordo que muitos pais querem que os filhos andem com retidão mas nao fizeram por onde, lembro de um tempo que passei fora da igreja, e mesmo nao indo a igreja eu orava lia a biblia
      pq desde criança minha mae me ensinava a ir a casa de Deus e quando cresci nao foi diferente, via a necessidade de estar ali, e essa necessidade me salvou de morrer muitas vezes...
      ja faz quase dois anos que eu voltei... e ao entrar por aquela porta eu tomei a decisão de nunca mais sair... pq aquele foi e sempre será o meu time kkkk'
      bju
      gostei muito da sua postagem
      radiopires.blogspot.com

    1. Clau disse...:

      Bom dia Heitor :)
      Mais uma vez,gostei muito da analogia:futebol x religião.
      Seu post merece ser lido,relido e pensado...
      Bjs!
      Boa semana!

    1. Rafaela disse...:

      Voltei hoje para te desejar um ótimo início de semana :)
      Bjus

      Rafa
      www.rafaelando.com

    1. Jéssica Patrício disse...:

      Oi Heitor! O post ficou ótimo novamente,adorei a comparação :)

      strawberrydelivrosefilmes.blogspot

    1. Dayane disse...:

      Adorei essa postagem, muito boa mesmo e realmente é bem haver com futebol, nunca tinha pensado por esse ponto, e a ultima coisa que você falou que é o "partido" essa é uma coisa que eu não gosto nem na religião e nem no futebol rs
      E que bom que você gostou da entrevista, fico muito feliz e eu nem percebi que estava o link do meu blog no nome do blog delas, muito obrigada por falar pra mim, eu já corrigi agora esta com o link do laço de cabelo >.<
      Bjinhos
      conversando-com-a-lua. blogspot.com.br

    1. Bruna disse...:

      Eu gostei da sua tese, ela é engraçada e crítica ao mesmo tempo. Parabéns pelo blog, eu gostei daqui. Sempre que der voltarei.

    1. The Lazy Girls disse...:

      Oi Heitor,
      Eu gostei bastante do seu primeiro post, e gostei mais ainda do segundo! Olha concordo plenamente com oq vc falou sobre a briga q existe entre as religiões! Eu não sou evangélica (mas frequento a congregação do meu pai a três semanas) e tbm acho que só Jesus salva! Não se pode apontar o dedo e achar que sua religião é a unica certa!
      Parabéns pelo post ;)

      Tem resenha nova lá no blog, quer ler?
      http://falleninme.blogspot.com/ Desde já obrigada!

      -PatyScarcella

    1. Lorena Viana, disse...:


      Querido hoje te convido para um café/ou um chá com um bolo quietinho para comemorarmos 365 dias do Pequena Aprendiz!
      Minha eterna gratidão a você que sempre deixa boas palavras e boas ideias no meu cantinho e no meu ♥.
      Bejinhos carregado de gratidão.
      Lorena Viana

    1. Jacques disse...:

      Olá, Heitor.
      Concordo com mais essa analogia; tanto no futebol quanto na religião muitas vezes a pessoa não faz uma escolha consciente, e isso enta na vida dela por imposição.
      Vida é escolha, e devemos fazer o que é melhor para nós e para as demais pessoas, já que vivemos em sociedade.
      Abraço, Heitor.

    1. Luara Cardoso disse...:

      Bem legal essa sua analogia. :)

      Um beijo,
      Luara - Estante Vertical

    1. Priscylla disse...:

      Pois é, futebol, política e religião é coisa que não dá pra discutir socialmente, sempre tem um querendo impor sua visão. :P

    1. Guilherme Lima disse...:

      adoro futebol (; (clique no perfil)

    1. Jeniffer Yara disse...:

      Acho futebol algo tão desnecessário, fútil, que é superestimado e MUITO pelo povo brasileiro :/ Amei mais uma vez as suas analogias, são bem parecidos mesmo os dois assuntos, achei legal sua originalidade ;}

      Beijos
      Meu outro lado

    1. Nanda Torres disse...:


      Obrigadinha pela visita carinhosa *.*
      beijo beijo

      http://lladodedentro.blogspot.com.br/

    1. Luzia Medeiros disse...:

      Esses assuntos sempre geram discussões, mas, com uma dose de bom censo tudo pode ser discutido.

      Beijos.

    1. WilLDuarte disse...:

      Sua analogia é sem dúvida muito interessante. E se formos parar para pensar bem temos essas semelhanças entre as duas coisas.
      No primeiro caso temos um semelhança mais acentuada, já que acredito que seja mais comum que ocorra essa herança. O segundo caso também não está errado, mas acontece de maneira menor na religião, e quando acontece (pensando bem acontece bastante) é extremamente errado, enquanto que a rivalidade no futebol até que é legal!
      Ótimo post. abraço!

    1. Amanda Souza disse...:

      Não é atoa que seu post passado sobre isso teve destaque, afinal é um assunto delicado e muito polêmico.
      Concordo com você no quesito herança. E é mesmo função da família ensinar também, os caminhos religiosos para seus filhos. Concordo principalmente no final, porque vejo que, muitas famílias por seguirem esta ou aquela religião, não aceita que os filhos sigam caminhos diferentes, quando isso deveria ser respeitado e acolhido, pela família, porque é o nosso porto seguro. Eles tem que nos mostrar os caminhos, mas quem escolhe seguir ou não somos nós, não é verdade?
      No quesito partido, acho até normal ter uma certeza rivalidade, isso é normal e até saudável, mas porque não usá-la para o bem? Por exemplo, porque não "disputamos" qual igreja consegue mais brinquedos pra distribuir à meninos carentes durante o natal ou vamos ver quem leva mais torcedores ao estádio, no caso do futebol. As coisas começar a sair do controle quando se passa por cimas dos outros pra defender o seu pensamento e esses são os motivos das mortes absurdas que acontecem no oriente médio por conta de religião ou nos estádios por conta de torcedores de times diferentes. Intolerância é uma coisa muito ruim, não sei porque as pessoas continuam com isso.

      Adorei o seu texto, mas uma vez, muito inteligente. Sei que sempre escrevo demais, mas é porque gosto de expor minhas opiniões, ainda mais em posts intrigantes como os seus.
      Beijinhos!

    1. Larissa disse...:

      Tu é bem sério com seus textos, inteligente e tal, curti *-*

      *Vitamina De Pimenta.blogspot*

    1. Marcelo disse...:

      Não gosto de futbboll

      futbol, politica e religião são assuntos proibidos de se falar pois gera ate briga.

      Também é temporamente ver como a educação no seio familiar determina os gostos dos filhos, pais preconceituosos tem filhos preconceituosos e tal

      http://wondermarcelo.blogspot.com.br/

    1. David Germanotta disse...:

      Muito bacana essa sua comparação. Acho futebol algo ... vamos dizer desnecessário e até besta.

      David - Leitor Compulsivo

    1. Esther Aguiar disse...:

      ainda bem que ficou animado, fez suas plaquinhas de keep calm?
      Cantinho da Menina Cristã (clique no perfil e visite)

    1. Pâm Possani disse...:

      Achei interessante a analogia ,continuação bem legal! ;D

      Continue participando, viu?Agradeço muito!
      Um beeeijo!
      Pâm
      interruptedreamer.blogspot.com.br/

    1. Guilherme Kunz disse...:

      Tem ainda pastor que fala que não se pode assistir nem jogar futebol... onde estamos meu Deus...


      Me visita?
      Guilherme Kunz
      www.tematoa.blogspot.com.br

    1. - marina :) disse...:

      Acho bem bacana essa comparação..

      Marina Alessandra do blog Pelos Dezoito
      @mariinaale

    1. Aline Teles disse...:

      Boa analogia. Beijinhos e um ótimo feriado.

    1. Leandro de Lira disse...:

      Oi!
      Interessante a maneira como você desenvolveu essa analogia.
      Abraço!

      "Palavras ao Vento..."
      www.leandro-de-lira.com

    1. Nadine Guerra disse...:

      Adorei o post, parabéns!

      Beijos,

      http://www.depoisquecrescemos.com/

    1. Carlinha :DD disse...:

      Obrigada pelo coment . E tens toda a razão :)
      Bye

    1. Andressa Pereira disse...:

      Creio nisso tudo, realmente é herdado e pra se desvencilhar disso, só se a pessoa tiver um gênio muito forte e lutar contra isso, porque é muito raro ver um filho ser do time oposto {acontece sim},e ver um filho ateu de pais que são fervorosos na religião, mas acontece também.
      Beijos

      Postagem fresquinha no dressa-pensamentos.blogspot

    1. Alexandre Lucio Fernandes disse...:

      Foste bom ter continuado esta analogia. Nos leva a pensar. E teus argumentos são bons, são inteligentes e fazem um bom paralelo entre ambos. Ao mesmo tempo faz boa relação entre igreja e futebol. Porque o importante é exatamente a mensagem tirada das comparações e não os dois em específico. É legal essa forma, porque torna fácil a identificação, o entendimento do que tu queres passar a nós.

      Acho que é isso. Por mais que tenhamos times diferentes ou igrejas diferentes, precisamos entender que todos somos um só, partidários de uma mesma seleção ou uma mesma entidade.

      Abração!! E belo texto meu amigo. Belo mesmo!

    1. Emanuella Casado disse...:

      Acho que a herança é o principal fator pelo qual o futebol ainda tem tanto cartaz no país.
      adorei o post.
      bjs

      http://www.amodernpinup.com

    1. Paloma Viricio:: Jornalismo na Alma:: disse...:

      kkk è bem assim mesmo que acontece nas duas diretrizes!^^ Bom começo de semana pra ti.
      Beijos!
      Paloma Viricio- Jornalismo na Alma

    1. Samira disse...:

      nossa cotinuo amando seu blog :) vc escreve mto bem
      tbm acho q a herança é principal fator do futebol ser tão comum assim, pois é
      bj
      lamourmonage...

    1. Romário Marques disse...:

      Ótimo post!! Não sou muito chegado a futebol, mas tenho um primo que é viciado. Vou indicar o post pra ele!

      www.naomeentendamal.blogspot.com

    1. Flavia disse...:

      Oi, Heitor! Vim retribuir o comentário que vc deixou lá no blog e gostei bastante do seu :). Achei seus textos ótimos, muito bem escritos.
      Achei super interessante essa comparação e concordo com tudo. Eu não gosto de futebol e confesso ter tomado um certo trauma com essa questão de religião e frequentar a igreja. Quando era criança minha mãe e minha vó me obrigavam a ir e tomei certa raiva... Acho que a gente deve ir pq gosta e se sente bem...

      Mas enfim, parabens pelo texto.

      Bjokas

      Flavia - Livros e Chocolate

    Postar um comentário

    LinkWithin

    Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...